A ressaca consiste em uma série de efeitos colaterais físicos, psicológicos e emocionais, causados pelo uso exagerado de bebidas alcoólicas. Saiba como curar a ressaca!

Quando uma pessoa exagera na bebida, deve-se levar em consideração se isso vem ocorrendo com frequência. Neste caso a pessoa pode estar apresentando sintomas de dependência do álcool.

Se esse for o caso, o dependente de álcool deve ser acompanhado por um profissional especializado e encaminhado para um tratamento.

Mas neste artigo, apresentaremos algumas dicas parar curar a ressaca no dia seguinte, fruto de uma noite de exageros com as bebidas alcoólicas.

A ressaca é, nada mais, do que uma intoxicação aguda por álcool, ou seja, uma superdosagem que intoxica o organismo, afeta o sistema nervoso central e provoca uma série de efeitos colaterais, entre eles, sintomas físicos (dor de cabeça, vômitos, dor no corpo, etc), sintomas psicológicos (irritação, inquietação, apatia, etc) e emocionais (depressão, tristeza, arrependimento, etc).

Para isso, é preciso programar uma desintoxicação. Durante a bebedeira, o aparelho digestivo teve muito trabalho extra. O estômago precisou fabricar mais suco gástrico; o fígado mais bile, além de ter que neutralizar as toxinas presentes pelo álcool. O intestino necessitou produzir mais suco entérico e ainda ficou com o trânsito mais lento.mulher-alcoolatra

Antes de começar a desintoxicação, vá até uma feirinha mais próxima. É lá que você encontrará os remédios naturais: verduras, frutas e legumes. Além de mais fácil digestão, os vegetais vão prover o organismo de vitaminas que auxiliarão no funcionamento dos rins e do fígado, os principais órgãos responsáveis pela desintoxicação. Inclua, também, muito líquido: água de coco (contém potássio) e sucos de frutas frescas.

A água é importante nesse processo. Ela repõe os líquidos perdidos e auxilia na remoção das toxinas acumuladas. As fibras solúveis, como o farelo de aveia ou trigo, arroz integral ou pão integral.

Evite carne vermelha (para não sobrecarregar fígado), queijos, molhos e frituras. Elimine ainda os alimentos industrializados, embutidos e enlatados, como salsichas, presunto, biscoitos, entre outros.

Aviso importante

Se o uso de bebidas alcoólicas for frequente a pessoa pode estar sofrendo de alcoolismo. Neste caso a melhor alternativa e procurar ajuda de um profissional de saúde especializado, que possa aconselhar da melhor forma, e se for o caso, procurar um tratamento.

 

Busque ajuda!

Muitas vezes, devido ao consumo do álcool, o usuário coloca em risco aspectos importantes de sua vida, tais como família, emprego, saúde. Além disso pode não perceber os problemas decorrentes deste uso ou mesmo negá-los. Nesses momentos, não é raro os membros da família apresentarem sentimentos de raiva ou impotência frente ao usuário ou a situação.
Essas ocasiões deveriam se transformar em buscas de ajuda em unidades de saúde, conversas com um profissional e pessoas de referência na sua comunidade, adesão a grupos de ajuda e cursos.

Dependência do Álcool:Como lidar?


Para lidar com um dependente do álcool, primeiro é preciso conhecer a doença, os sintomas de abstinência, a prevenção de recaídas e as questões psíquicas e emocionais que envolvem a dependência química.

A família é parte importante na recuperação do dependente químico!

 


Busque informações corretas sobre a dependência do álcool e o tratamento correto, bem como a melhor maneira de lidar com o problema.
Aqui você encontra alguns cursos completos sobre como lidar com a dependência do álcool, e assim poder ajudar a pessoa que sofre com este problema. Vale a pena fazer!

 

Curso Dependência de Álcool: como lidar?Curso Dependência de Álcool: como lidar?

É direcionado ao público geral, desde profissionais da área da saúde, educação a pais de dependentes químicos. Desenvolvido com linguagem rápida e de fácil compreensão. Leituras de textos, vídeo aula, vídeos sobre o tema, textos complementares e questionários. Mais informações >>

Para saber mais informações ou esclarecer dúvidas entre em contato conosco: sossobriedade@gmail.com

Share