Nesta fase começamos a achar que as coisas não têm mais jeito, que não podemos mais resolver os nosso problemas. Conformar-se com a situação e acreditar que não há nada que possamos fazer nos enche de autopiedade. É um ponto crítico no processo de recaída e cada vez mais a nossa sobriedade fica comprometida.


Sintomas de recaída da dependência química

Sentimentos de que nada pode ser solucionado

A sensação de fracasso começa a se generalizar, tudo é motivo para pensamentos negativos e prognósticos desencorajadores. O fracasso pode ser real ou imaginário, já que pequenos fracassos podem ser exagerados, aumentando de proporção através do fermento da nossa ansiedade e do nosso desespero.

A crença cômoda de que fizemos o melhor que podíamos e, mesmo assim, a recuperação não “deu certo”, começa a se desenvolver e assim nos livramos tanto do peso da culpa quanto da responsabilidade de mudar o quadro. Estamos chegando ao ponto crítico onde a vida para, onde perdemos o sentido da nossa existência.

Para todos os tipos de drogas o processo de recaída pode ser o mesmo. A fissura pela cocaína, o crack, o álcool e tantas outras drogas podem voltar a aparecer depois de anos, se o dependente não buscar a manutenção da sua recuperação.

Veja:

Superando a fissura pela droga – As quatro forças de vontade

Perceber estes sintomas a fim de tratá-los ou até preveni-los, são fundamentais para continuarmos sóbrios.

por Rodrigo Longo

Tweet

Veja Também!

1.Como os inalantes agem no organismo

2.Sintomas de recaída da dependência química – Deixar de planejar construtivamente

3.Sintomas de recaída da dependência química – Depressão secundária (leve)

4.Drogas na adolescência

5.Desintoxicação de cocaína

Share