Telefona!
“Receávamos que, se alguma vez revelássemos como de fato éramos, seríamos certamente rejeitados… mas os nossos amigos em NA ou A.A compreendem-nos.
Nós precisamos dos membros da irmandade – da sua experiência, da sua amizade, das suas gargalhadas, da sua atenção, e de muito, muito mais. No entanto, muitos de nós hesitam em telefonar ao padrinho ou madrinha, ou em visitar os amigos da irmandade. Não queremos impor a nossa presença. Pensamos em telefonar a alguém, mas não nos sentimos merecedores do seu tempo. Receamos que se eles viessem a conhecer-nos – a conhecer-nos realmente – iriam certamente rejeitar-nos. Esquecemo-nos de que os nossos amigos da irmandade são iguais a nós.
Não há nada que tenhamos feito nenhum lugar onde tenhamos estado, nenhum sentimento que tenhamos sentido, que não seja fácil a outros adictos em recuperação identificarem-se. Quanto mais permitimos aos outros que nos conheçam, mais os ouvimos dizer, “Estás no lugar certo. Estás entre amigos. O teu lugar é aqui. Bem vindo!”
Também nos esquecemos de que, tal como precisamos dos outros, também eles precisam de nós. Não somos os únicos a querer sentir que pertencemos, a querer experimentar o calor da amizade, a querer alguém com quem partilhar. Se nos isolarmos dos nossos amigos da irmandade, vamos privá-los de algo de que eles precisam, algo que só nós podemos dar: o nosso tempo, a nossa companhia, as nossas verdadeiras pessoas. Em Salas, os adictos em recuperação preocupam-se uns com os outros. O que nos espera do outro lado do telefone não é a rejeição, mas sim amor, calor e identificação da Irmandade. Faz esse telefonema!
Só por hoje: Em salas, estou entre amigos. Vou aproximar-me de outros na irmandade, dando e recebendo.
  
Recuperação em casa
“Conseguimos apreciar as nossas famílias de uma nova forma e podemos tornar-nos uma fonte de alegria para eles, em vez de um fardo ou um embaraço.
A nossa recuperação está brilhante, não está? Vamos a uma reunião todos os dias, passamos todas as noites com os nossos amigos da irmandade, e vamos todos os fins-de-semana a uma reunião de serviço.
Mas, se as coisas estiverem a desmoronar-se em casa, é porque não somos tão brilhantes assim. Achamos que as nossas famílias devem compreender-nos. Afinal de contas, já não estamos a usar drogas. Porque é que eles não reconhecem os nossos progressos? Não percebem como as nossas reuniões são importantes, ou o nosso serviço, ou o nosso envolvimento com a irmandade?
As nossas famílias não vão apreciar a mudança que NA está produzindo nas nossas vidas se nós não lhes mostrarmos. Se sairmos apressados para ir a uma reunião, tal como saíamos quando íamos usar drogas, o que é que mudou? Se continuarmos a ignorar as necessidades e os desejos dos nossos companheiros e dos nossos filhos, não conseguindo aceitar as nossas responsabilidades em casa, não estaremos “praticando estes princípios em todas as áreas das nossas vidas.”
Devemos viver o programa onde quer que estejamos, em tudo o que façamos. Se queremos que a vida espiritual seja mais do que uma teoria, temos de vivê-la em casa. Quando fazemos isso, as pessoas com quem partilhamos as nossas vidas irão certamente notar a nossa mudança e ficarão gratas por termos encontrado NA.
Só por hoje, Vou levar a minha recuperação comigo para casa.
Um Poder que nunca falha
À medida que aprendi a confiar neste Poder comecei a ultrapassar o meu medo de viver.
SOU uma pessoa acostumada a colocar todos os meus ovos na mesma cesta. Eu tinha uma determinada droga de escolha que era a minha favorita. Confiava nela para tornar cada dia minimamente suportável. Era fiel a essa droga; de fato, me entreguei a ela sem reservas. E ela depois me traiu. Fui traído pela única coisa de que alguma vez dependia, e essa traição me deixou perdido.
Agora que tropecei para dentro das salas de recuperação, pude sentir tentado a confiar noutro ser humano para ir ao encontro das minhas necessidades. Pude esperar isso do meu padrinho ou madrinha, do meu amor-próprio, ou do meu melhor amigo. Mas a dependência de seres humanos é arriscada. Eles estão um pouco aquém da perfeição. Podem estar em férias, dormindo, ou com uma má disposição, quando precisar deles. A minha dependência deve estar num Poder superior a mim mesmo. Não há força humana que possa repor a minha sanidade, cuidar da minha vontade e da minha vida, ou estar disponível incondicionalmente, e pronta a dar do seu amor, sempre que esteja necessitado.Coloquei a minha confiança no Deus da minha concepção, pois só esse Poder nunca me falhará.
Só por hoje, vou colocar a minha confiança num Poder superior a mim mesmo, pois só esse Poder nunca me abandonará.
Só por hoje, pensarei…
Só por hoje pude abrir minha mente e compreender
que em qualquer circunstância,
eu estava no lugar certo,
na hora certa, (realidade).
Então pude relaxar.
Só por hoje pude perceber que meu
sofrimento emocional é um sinal
de que estou indo contra as minhas verdades.
Só por hoje parei de desejar e fazer apenas minhas vontades e (pedir) que a minha vida
fosse diferente, comecei a ver
que tudo o que acontece nela contribui
para o meu crescimento.
Só por hoje comecei a perceber como
é ofensivo tentar mudar alguma coisa
ou alguém, então entrego à Deus
( inclusive EU mesmo ).
Só por hoje comecei a me livrar de tudo
que não fosse saudável: pessoas, tarefas, lugares, hábitos,
crenças e qualquer coisa que
me pusesse pra baixo.
Minha razão chamou isso de egoísmo.
Mas só por hoje eu sei que é amor-próprio.
Só por hoje deixei de temer meu tempo livre
e desisti de fazer planos.
Só por hoje faço o que acho certo
e no meu próprio ritmo (vou com calma mas vou).
Só por hoje desisti de querer ter sempre razão, ser o dono da verdade
e com isso estou errando menos.
Só por hoje vou me lembrar do meu passado e desisti de ficar revivendo ele
e de me preocupar com o futuro.
Isso me faz viver só por hoje e me mantém limpo, no presente,
que é onde a vida acontece.
Só por hoje percebi que a minha mente doente
pode me trair, atormentar e me decepcionar.
Mas quando eu coloco primeiro eu
a serviço do meu coração,
ela se torna uma grande e valiosa aliada
SÓ POR HOJE SOU GRATO À DEUS E PELA VIDA,
SÓ POR HOJE!
Desejo INFINITAS 24hs de aceitação à esta programação que vêm salvando milhares de vidas e famílias.


Share