Quando chegamos à fase da negação, temos muita dificuldade em reconhecer e falar honestamente aos outros o que estamos pensando ou sentindo. Assim, acabamos nos isolando do meio, nos afastamos dos amigos de recuperação, da família e deixamos de confiar em todos aqueles que poderiam ajudar-nos, evitando qualquer tipo de contato côo pessoas do nosso novo círculo de amizades.
            A solidão nos invade novamente e o isolamento emocional que foi trabalhando durante o tratamento, se instala em nossa vida. Mais uma vez, podemos ser prepotentes e autossuficientes e pretendermos carregar sozinhos todos os nossos problemas.
            Os sintomas mais comuns nesta fase são:
Preocupação com o bem-estar
Todos os sintomas já descritos anteriormente, gradativamente nos levam a ficarmos inquietos, assustados e ansiosos, com medo de uma recaída. Mas só o fato de estarmos nos sentido dessa maneira, pode-se se dizer que o processo de recaída já se instalou. Podemos dizer que o cárcere emocional está se instalando e fica cada vez mais difícil sair deste círculo vicioso.
      Assim nos isolamos cada vez mais, não compartilhamos a nossa preocupação com ninguém, por medo de julgamento ou sanções, e por medo tomar decisões importantes, como ter a coragem necessária de sair deste círculo vicioso.
Negação da preocupação                                                                       
      Como dificilmente suportaremos estes momentos de inquietação, preocupação, medo e ansiedade, tentaremos ignorar ou negar estes sentimentos, do mesmo modo que negávamos a nossa dependência.
      É um mecanismo de defesa e que sem percebermos acontece constantemente. Mesmo quando entramos em contato com os nossos sentimentos, estes não duram muito tempo, pois são rapidamente bloqueados de maneira inconsciente por este mecanismo de defesa.
      Se conseguirmos retomar a análise da situação, podemos ser capazes de reconhecer estes sentimentos de ansiedade e sua negação. Entrar em contato com a realidade que estamos vivendo, admitir a situação atual, é o caminho para lidar com esta recaída emocional, e assim, evitar a inevitável recaída.  Somente compartilhando estes sentimentos com outras pessoas, buscando ajuda e deixando o medo, o orgulho e o comodismo de lado, conseguiremos superar esta fase.


Autor: Rodrigo Longo
UM GRANDE ABRAÇO A TODOS!
Referência Bibliográfica:

Share